segunda-feira, 20 de abril de 2015

BMW Série 7 Active Hybrid.

O BMW Série 7 Active Hybrid faz parte daquela categoria de carros que pensa em luxo, espaço, conforto, e meio ambiente, mas claro, sem perder o toque esportivo do seu DNA alemão. São 465cv de potência gerados em seu V8 e consumo de 7,9km/l, dá pra acreditar? Tudo isso pensando no meio ambiente, causando o menor impacto possível.

O BMW ActiveHybrid 7, equipado com motor V8 de 407 cv mais o elétrico de 58 cv, tem 465 cv de potência total, 0 a 100 km/h em 4,9 segundos, 71,3 kgfm, tudo isso comandado por uma transmissão de oito marchas, que é novidade na BMW. O consumo, como era esperado, melhorou. No ciclo urbano, a média subiu de 6,1 para 7,9 km/l. A Mercedes foi mais fundo e uniu o motor elétrico a um V6 a combustão, enquanto a Lexus (no LS 600) e a BMW (no Série 7) mantiveram os V8.
O motor elétrico tem participação coadjuvante no deslocamento do Série 7, mas entra em cena em momentos decisivos, como nas arrancadas e nas ultrapassagens, ajudando o V8. Além disso, o motor elétrico regenera energia nas frenagens e nas descidas (quando o motorista alivia o pé do acelerador). O sistema Auto Start Stop desliga momentaneamente o motor durante breves paradas para diminuir o consumo de combustível. O ar-condicionado pode funcionar com o motor desligado, já que é alimentado pela bateria de íons de lítio do motor elétrico. O carro traz oito airbags e pneus run ¬ at que podem rodar vazios.
De resto, o ActiveHybrid 7 é idêntico ao 750i, lançado em 2008. Sua carroceria tem uso intensivo de alumínio, para reduzir peso, e seu motor V8 conta com dois turbos e injeção direta, entre outros recursos. O acabamento é de primeira e não faltam equipamentos como GPS, piloto automático e faróis de xenônio. O sistema Dynamic Driving Control ajusta as respostas do câmbio, da direção, do acelerador e da suspensão, de acordo com quatro programas selecionáveis por meio de um botão no console: Comfort, Normal, Sport e Sport+ (este desliga o ESP), indo do comportamento mais confortável ao mais esportivo. Como você pode ver, o Série 7 híbrido é um legítimo aristocrata alternativo.
Uma pergunta que foi minha e pode ser sua também; Porque desenvolver motores híbridos para carros tão caros que serão produzidos e vendidos poucas unidades ao invés de empregar em populares? A resposta é: marcas de luxo como BMW, Lexus e Mercedes optaram por oferecer carros híbridos começando pelos modelos topo de linha por várias razões. Nessas versões caras e de baixa “tiragem”, é mais fácil cobrar pela nova tecnologia – e elas servem como laboratório para a futura democratização em direção à base da pirâmide. Também conta o fato de esses carros serem os mais gastões de suas linhas. Ter uma opção híbrida pega bem para a imagem da marca e para a consciência dos clientes.
Curtiram? Fiquem ligados aqui no site, pois em breve postaremos mais uma matéria, e não se esqueçam da nossa página no Facebook pois lá as postagens são diárias, assim como em nosso Instagram (@exclusivos_jampa), segue lá! Um grande abraço a todos e até a próxima.

0 comentários:

Postar um comentário